HOME SOBRE CONTATO ANUNCIE


[Resenha] Ligeiramente Perigosos- Mary Balogh

                       
Sinopse: Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção. 
Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente. Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida.
Em Ligeiramente Perigosos, o sexto e último livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh conclui a saga desta encantadora família em uma trama repleta de cenas sensuais, tiradas espirituosas e personagens à frente de seu tempo. Ao unir um homem e uma mulher tão diferentes, ela mostra que o resultado só poderia ser um par perfeito.
Título: Ligeiramente Perigosos- Os Bedwyns #6 |Autora: Mary Balogh |Editora: Arqueiro|Páginas: 304|Ano: 2017 |Classificação: 5/5  | SKOOB

Resenha: O último livro dos irmãos Bedwyn fecha com chave de ouro essa maravilhosa série de romances de época. Depois de acompanhar a personalidade forte do duque de Bewcastle nos cinco primeiros livros, eu estava completamente ansiosa para conhecer sua história em Ligeiramente Perigosos. E é com muita felicidade que digo que todas as minhas expectativas não só foram alcançadas como também superadas.


Por ser o primogênito da família, Wulfric um dia assumiria o posto de duque de Bewcastle. O que ele não imaginava era que esse dia chegaria em seus 17 anos de idade. Apesar de novo, ele assumiu esse posto e todas as responsabilidades que vieram juntas, sendo o responsável por administrar o patrimônio da família e garantir boa educação e bons casamentos aos cinco irmãos mais novos.

Toda a responsabilidade o fez amadurecer muito rápido privando-o dos momentos felizes em família e, dessa forma, o duque deixou de ser o garoto alegre e ativo para se tornar o duque frio e desprovido de amor.

“−Amor − disse ele. − É uma palavra usada pelas mulheres, Sra. Derrick [...].”

Fica claro nos livros anteriores da série que Wulfric é um homem muito responsável com suas obrigações, digno de respeito e com senso de justiça. É ele o responsável por ajudar e socorrer todos os irmãos nos momentos de perigo e isso já evidencia que apesar de muitos o considerar sem coração ele realmente ama a família. Mas, fato é que ele é um personagem instigante. Ele é do tipo que conquista o leitor logo na primeira cena. Seu jeito frio e quase impenetrável só serve para aguçar ainda mais nossa curiosidade e torcermos para que ele encontre o amor verdadeiro e ser feliz novamente.

Então, obviamente que Ligeiramente Perigosos foi o livro mais aguardado por muitos fãs da série. Contudo, deixemos Wulfric um pouco de lado para conhecermos Christine Derrick.

Christine é de origem humilde, mas conseguiu um ótimo casamento no passado. Esse casamento a incluiu na alta sociedade e nesse período ela viveu os melhores e os piores dias de sua vida. Hoje, aos 29 anos e viúva, ela mora com a mãe e a irmã solteirona tendo uma vida simples como professora. Mas diferente das típicas mocinhas londrinas, Christine não era nada comportada. Na verdade, ela é, e sempre foi, do tipo espontânea e que atrai confusões. Sendo um pouco desastrada e propensa a atrair a atenção das pessoas em sua volta (seja por sua incrível beleza ou por seu jeito alegre), alguns a consideram como uma sedutora e outros como a luz que ilumina a convencional aristocracia.

O que quase ninguém sabe é que por traz de toda essa alegria ela carrega uma grande tristeza do seu passado. Desde a morte do marido, ela excluiu a alta sociedade de sua vida e nada a faria participar novamente daquelas temporadas festivas. Bem, quase nada porque sua amiga Melanie tinha um grande poder de persuasão e a convence a participar de uma dessas temporadas em sua casa. Sem muita alternativa, Christine aceita o convite, apesar de seus vestidos serem velhos e antiquados para a ocasião. E vai ser nessa temporada que os caminhos de Wulfric e Christine vão se cruzar.


Wulfric e Christine são o verdadeiro significado da palavra opostos e o melhor exemplo de que os opostos se atraem. Desde o início eles sentem uma certa atração, mas ao mesmo tempo vivem discutindo. Isso porque finalmente nós vamos conhecer a primeira pessoa na história que não se amedronta fácil na presença de Wulfric. Os olhos frios e o monóculo que aterroriza a todos não passam de incógnitas que a viúva anseia em desvendar. Mas, uma coisa eles tem em comum: o arrependimento por ter aceito o convite e por estarem naquela temporada.

“Os olhos costumam ser o ponto mais fraco em qualquer disfarce porque quem está disfarçado precisa ver o que acontece no mundo e acaba deixando-os expostos, não importa quanto todo o restante da pessoa possa estar coberto. Mas seus olhos são o seu disfarce, ou ao menos uma parte generosa dele. Não consigo ver nem mesmo um relance de sua alma ao mirá-los.”

O duque de Bewcastle nunca é visto naquele tipo de evento e isso causa grande espanto nos demais convidados. Com a morte de sua amante (pessoa a qual ele foi fiel durante anos de sua vida) e com todos os irmãos casados, Wulfric começa a sentir a solidão pela primeira vez o que o motiva a aceitar o convite. É claro que ele se arrepende dia após dia, mas é a presença de Christine que torna sua estadia em Schofield Park um tanto quanto interessante. E apesar dos gênios diferentes eles vão se envolvendo até que nasce uma forte paixão.

“− Basta o duque entrar num cômodo para que a temperatura despenque. O homem carece de sentimentos, de sensibilidade, de coração.”

Uma das coisas que eu mais gostei nesse livro foi a forma como a relação entre os personagens foi desenvolvida. Aqui não temos nada de correria no quesito amor não, minha gente. Os dois vão se conhecendo e é tão lindo ver como o amor vai surgindo a partir dos pequenos detalhes 😍

E acredito que acompanhar o desenrolar do romance foi ainda mais gostoso porque vamos também acompanhando as mudanças que Christine provoca em Wulfric que aos poucos abre seu coração e volta a sorrir. Não tenho palavras para dizer o quanto eu gostei desse livro e o quanto já estou com vontade de reler toda a série!

A diagramação do livro está boa, assim como a revisão ortográfica. A edição quase todos os fãs da Arqueiro já conhecem: folhas amareladas, capa linda e boa tradução. Fica a dica de um ótimo romance de época que se tornou um dos meus favoritos!

Um beijo e até a próxima!

7 comentários:

  1. Oi, Bárbara!
    Agora que estou órfã dos Bridgertons, vou já conhecer essa outra família.
    E fico bem feliz em saber que a série teve um final bom.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Ai meu coração! Quero tanto ler essa série ❤ Sua resenha me deu ainda mais vontade de ler haha Arrasou na resenha Flor ❤
    Beijos ❤
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  3. oi Bárbara!

    E minha primeira vez no seu cantinho e amei logo de cara, o seu topo e super fofo *-* já ouvi falar muito dessa série, o pessoal fala muito bem, infelizmente no momento não estou muito na vibe de romances de época por isso estou evitado qualquer livro do gênero no momento kkkkk mas eu ainda quero ler esta série e a dos Bridgertons, iniciei a leitura do livro um mas ainda não terminei, acho que quando eu era mais nova eu lia tanto mais tanto romance de época que no momento estou um pouquinho cansada kkkkkkk mas amei sua resenha e fico feliz que série tenha terminado com chave de ouro.

    Beijinhos

    Resenha Atual

    ResponderExcluir
  4. Oi Bárbara! Eu amei esse livro, dei tanta risada com as atrapalhadas da protagonista! E quando terminei fiquei tb com vontade de reler tudo <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi Bárbara,
    Acredita que ainda não li esse livro!! Preciso ler urgente haha
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  6. Olá, Bárbara.
    Eu amei esse livro e olha que as expectativas eram bem altas. Eu estava doida para ler a história do Wulf. E foi o primeiro livro que fiquei na dúvida se o casal ia terminar junto, eles eram muito diferentes.
    Sobre sua pergunta lá no blog, nós usamos o site Filmow.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Aí amiga nem me fale, já estou com esse livro aqui em casa a tempos, mas simplesmente não consigo pegar para ler. Sabe quando você se nega a se despedir de uma história!!??? Gostei muito dessa familia e estou adiando a despedida, mas acredito que pelo menos iniciarei ainda nesse mês de julho (como é o mês do meu aniversário estou tentando ler só o que me chama no momento).
    Amei conferir suas impressões ... Prevejo que irei amar também!!! Beijão

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

© Versos e Notas - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento por: Colorindo Design - Tecnologia do Blogger.